MICROALGAS PARA PRODUÇÃO DE BIOCOMBUSTÍVEIS

Esses organismos tão pequenos são capazes de produzir biocombustíveis, como o biodiesel e o etanol. Mas como este processo acontece? Se você ficou interessado, confira abaixo.

Figura 1 – [Fonte: Ecologia Verde]

Não é novidade que precisamos procurar alternativas para os combustíveis fósseis, pois estes causam um grande impacto ambiental e colaboram para a escassez dos recursos naturais. Desta forma, a busca por novos biocombustíveis e novas maneiras de produzi-los é uma área em ascensão.

Os biocombustíveis consistem em produtos, como a cana de açúcar e o girassol que são utilizados para geração de energia a partir da biomassa. Alguns exemplos desta classe de combustíveis são o etanol, o biodiesel, o biogás, o biometanol, o óleo vegetal, entre outros. A grande vantagem dos biocombustíveis é que eles são renováveis e apresentam um menor índice de poluição comparado com os derivados do petróleo. No entanto, eles necessitam de uma grande área de cultivo, o que intensifica o desmatamento e agrava outros problemas ambientais.

É neste quesito que as microalgas entram em ação, elas são organismos aquáticos unicelulares e fotossintéticos, que utilizam a energia solar para a fotossíntese, convertendo-a em energia química (FOGAÇA, 2017). Elas são em muitos aspectos superiores às outras fontes de produção de biocombustíveis, pois não necessitam de grandes áreas para seu cultivo, possuem tempo de crescimento curto e um alto teor de lipídeos, o que acarreta em um elevado rendimento na extração de seu óleo. Além de não precisam de herbicidas e pesticidas, também removem fosfatos e nitratos da água residual durante seu crescimento, contribuindo para o tratamento desta água (POJÔ, 2016).

As microalgas podem ser utilizadas para a produção de biodiesel, etanol e hidrogênio. A escolha da espécie da alga depende do produto final que se quer obter, pois cada espécie possui características específicas. A imagem a seguir exemplifica a produção de biocombustíveis a partir de microalgas.

Figura 2 – Produção de biocombustíveis a partir de microalgas [Fonte: Mussatto et al. 2010]

Para a obtenção do biodiesel é preciso um processo de quatro etapas, que consiste no cultivo das microalgas, em sua colheita, na extração dos lipídeos e na conversão em biodiesel. Já para a produção do etanol, as microalgas devem possuir alta concentração de carboidratos ao invés de lipídios em sua estrutura, pois assim eles podem ser transformados em açúcares fermentáveis.

Figura 3 – Produção de etanol a partir de microalgas [Fonte: Mussatto et al. 2010]

No entanto, apesar de apresentar vantagens significativas, as microalgas ainda possuem um custo elevado comparado com as outras fontes de produção de biocombustíveis. Desta forma, é importante encontrar soluções que aprimorem o sistema de produção das algas e extração de seu óleo, assim como espécies mais adequadas para a produção de biocombustíveis.

Referências Bibliográficas:

http://brasilescola.uol.com.br/geografia/biocombustiveis.htm

http://brasilescola.uol.com.br/quimica/biodiesel-algas.htm

Mussatto, S.I.; Dragone, G.; Guimarães, P. M. R.; Silva, J. P. A.; Carneiro, L. M,; Roberto, I. C.; Vicente, A.; Domingues, L.; Teixeira, J.A.Withdrawn: Technological trends, global market, and challenges of bio-ethanol production. 2010

Pôjo, V. I. N. C., Seleção de microalgas com potencial de produção de biocombustíveis. 2016

Imagem 1 : https://www.ecologiaverde.com/5-sorprendentes-aplicaciones-del-cultivo-micro-algas/

Imagem 2 e 3: Mussatto et al. Withdrawn: Technological trends, global market, and challenges of bio-ethanol production. 2010

Camila Gabrieli Reckziegel

Assessora do setor acadêmico da BetaEQ e estudante da Unioeste.

Deixe aqui a sua opinião