[I SSEQ] SOFTWARE UNISIM / ENTREVISTA: RAFAEL BARBOSA RIOS

O UniSim é um software utilizado para desenho e simulação de plantas industriais (químicas e petroquímicas), que auxilia os engenheiros a prever e monitorar estas plantas tanto em estado estacionário como em estado transiente.

unisim1É sempre relevante conversar e buscar informações com quem trabalha com estes softwares, pois estas pessoas podem falar com mais propriedade sobre o assunto. Com isso, entrevistamos o professor Me. Rafael Barbosa Rios da Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA) que desenvolve trabalhos com o software e também instrui os alunos a manuseá-lo, assim como aplicá-lo na disciplina de Projeto de Processos a qual o mesmo ministra. Segundo o professor Rafael Rios, algumas atividades que podem ser desenvolvidas utilizando o UniSim, é que o “Engenheiro Químico pode especificar equipamentos de forma rápida, otimizar projetos com base nas respostas geradas a partir de alterações na rota de produção e mudanças nas condições de operação. O software possibilita, ainda, avaliar economicamente uma planta industrial e estimar propriedades físico-químicas e de equilíbrio líquido-vapor de determinadas substâncias”.
O UniSim funciona semelhante ao Hysys, é tanto que os programas que são criados no Hysys podem ser abertos e executados no UniSim, além de que 60% dos usuários do UniSim são ex-usuários do Aspen Hysys. Para o professor Rafael Rios, relacionando ambos os softwares pode-se inferir que estes não possuem diferenças em termos de funcionalidade e design. “O código fonte é praticamente o mesmo. Tal similaridade existe porque o Hysys, inicialmente desenvolvido pela empresa Hyprotech, permaneceu no mercado por muitos anos até que foi comprado pela Aspentech. Essa compra foi contestada pela empresa Honeyweel, que, a partir de uma decisão judicial, teve acesso ao código fonte do Hysys e, assim, desenvolveu o simulador de processos UniSim”.
Outro ponto que cabe ser ressaltado refere-se a forma de aquisição e o acesso ao software, tendo em vista que o UniSim custa bem menos que o Hysys, e é gratuito para Universidades, o que o torna bem mais atrativo para uso acadêmico, sendo por isso também justificado a migração de boa parte dos usuários do software concorrente para o UniSim. Outra vantagem encontra-se atrelada ao fato de que este apresenta menos bugs, uma vez que os bugs geram perda de tempo e estresse para seus manipuladores.
Quando perguntado se possuem outros softwares que atuam de forma semelhante ao UniSim (além do Hysys), o professor Rafael Rios respondeu da seguinte forma: “Sim, cada software tem a sua particularidade. Alguns estão mais ‘aparelhados’ para simulações de processos petroquímicos, já outros para processos fermentativos. No geral, a tarefa de simular uma determinada rota de um processo industrial de forma a dimensionar equipamentos e avaliar condições de operação pode ser conseguida a partir de simuladores como o Aspen Plus, DWSim, EMSO, Dymola, CFX, SuperPro Designer, entre outros”.
Finalmente, questionamos ao professor entrevistado sobre a utilização dos softwares de uma forma geral, o conhecimento dos graduandos em Engenharia Química sobre os mesmos, bem como se ele enquanto docente acreditava ser necessário um maior direcionamento por meio das disciplinas da graduação para abordagem e manuseio dos softwares, e o entrevistado nos respondeu que: “Na prática, um engenheiro químico tem suas competências muito mais voltadas a tarefas que exigem o uso de algum software do que muitos imaginam. A necessidade de resolução de problemas de forma rápida vem exigindo cada vez mais a familiaridade com softwares de processos (Hysys, UniSim, …), com softwares de resolução de modelos matemáticos (gPROMS, MatLab, …), com softwares para tratamentos de dados e estatística (Origin, Statistica, …), bem como para desenho de equipamentos, peças e layouts (AutoCAD, SolidWorks, …). Essa é uma questão que merece mais discussão entre os discentes, face a dificuldade de se conseguir ministrar aulas com alguns softwares em disciplinas com conteúdo extenso e carga horária reduzida. Alguns professores do Curso de Engenharia Química da UFERSA já vem realizando esse esforço como o uso do MatLab inserido na disciplina de Modelagem e Simulação de Processos e o uso do UniSim na disciplina de Projeto de Processos Químicos”.
De tal forma, percebe-se que na prática há muitas aplicações no uso do UniSim, sendo de grande relevância o conhecimento e, principalmente manuseio dos softwares de uma forma geral para os discentes e futuros Engenheiros Químicos, tendo em vista que isso pode ser um diferencial que alguns buscam dentro de nossa abrangente e versátil Engenharia.
Free Trial:
Referências utilizadas:

Autor: Wallas Souza

Assessor de conteúdo:  Carina Estela Aquino

Normatização: Carina Estela Aquino