Cosméticos: A DIVINA QUÍMICA DAS FRAGRÂNCIAS

A fragrância de um perfume tenta “imitar” os odores naturais. Na verdade, nada mais é que: moléculas orgânicas voláteis de baixo peso molecular.

Processos de produção do perfume é conhecido por poucos, de onde vêm as fragrâncias doces, almiscaradas, cítricas ou amadeiradas, mesmo sendo um item indispensável para a maioria das pessoas. O perfume é muito mais do que um luxo, ele reflete diretamente nossa personalidade, nossa essência e nossas intenções. Um perfume pode dizer muito sobre o que se está pretendendo, seja no dia a dia ou num evento especial.

Os perfumes surgiram em 3 mil a.C. Naquela época, os egípcios usavam fumaças aromáticas durante as orações. Vem daí a origem da palavra: per (através) e fumum (fumaça). Por volta de 800 a.C., os gregos já exportavam óleos de flores e plantas maceradas e, quase dois séculos depois, a Babilônia se tornou o centro comercial de especiarias e perfumes. Hoje, uma fragrância é feita misturando de 30 a 300 ingredientes.

Todas elas têm três “notas” (cheiros). A nota de saída é a que se dispersa no ar mais facilmente: nós a sentimos logo ao abrir o frasco. A de coração é menos volátil: só a percebemos quando o produto seca na pele. E a de fundo é a que garante a fixação do aroma na pele. Costuma ser a mais densa (e cara de produzir).

Sem título

Fonte: Revista Química Nova na Escola

PROCESSOS DE PRODUÇÃO DO PERFUME

Não é um grande segredo o processos de produção do perfumes, na verdade é bastante simples se comparado a outras indústrias do mesmo ramo. Ele se inicia na coleta da matéria prima para a descoberta da fragrância. A matéria prima pode vir de flores, frutas, folhas, ervas, musgos e cascas de árvores, entre outros.

Os químicos já identificaram cerca de três mil óleos essenciais, sendo que cerca de 150 são importantes como ingredientes de perfumes. Para que possam ser usados com esse fim, os óleos essenciais devem ser separados do resto da planta. As técnicas usadas para isso baseiam-se em suas diferenças de solubilidade, volatilidade e temperatura de ebulição. A partir da coleta da matéria prima, é estabelecido o tipo de processo pelo qual ela vai passar, o qual pode ser destilação, absorção ou extração. A extração por solventes, por exemplo, utiliza o solvente éter de petróleo (uma mistura de hidrocarbonetos) para extrair óleos essenciais de flores. Já o óleo de eucalipto pode ser separado das folhas passando através delas uma corrente de vapor de água (destilação por arraste de vapor).

Destilação

Fonte: Google

A destilação é o processo mais antigo de produção de perfumes. Ele remete aos anos 2000 a.C., onde os persas Muslim e Avicenna, médico e químico, respectivamente, o desenvolveram. A destilação consiste em submeter a matéria prima a um intenso calor, que provoque a evaporação dos componentes que constituirão o perfume, os quais são coletados por um tubo de vidro até que se resfriem. A este composto são adicionadas determinadas quantidades de álcool e água para formar o perfume.

Enfleurage: a captura artesanal de uma essência

Fonte: Site O Boticário

Outro processo possível para se produzir perfume é a Enfleurage, que é aplicada às matérias primas que não resistem ao processo de destilação.
Os cuidados na extração dos óleos voláteis são essenciais para evitar que características originais se alterem. Durante certos métodos de extração a água, a acidez e a temperatura podem provocar a hidrólise de ésteres, rearranjos, isomerizações e oxidações indesejáveis. Já vimos como equipamentos de última geração fazem esse trabalho. No entanto, artesanalmente também é possível obter resultados semelhantes. No Enfleurage as substâncias aromáticas (geralmente flores) são expostas por um certo período de tempo a uma gordura em temperatura ambiente. Em seguida, substitui-se as flores por novas até saturar a gordura que é depois tratada com etanol”. Seguidos todos estes passos teremos o óleo aromático em alta concentração e baixa quantidade.

A diferença é que, dessa vez, a gordura a ser utilizada teria que ser de origem vegetal ao invés de animal como se fazia até aquela data.

Após o processo de formação das fragrâncias, um perfumista faz as combinações de aromas para criar o perfume, constituindo as notas do perfume. Com a combinação aprovada, é possível iniciar o processo de industrialização, ou seja, fabricação em massa.

Mas você deve estar se perguntando de onde vem tanta matéria prima assim, não é mesmo? Fique tranquilo, a natureza não é devastada para que possamos usar dois ou três perfumes diferentes diariamente. A partir da aprovação da combinação das fragrâncias, é possível replicar o aroma do perfume em laboratório, criando essências sintéticas. É a partir das essências sintéticas que a indústria de perfumes fabrica seus produtos em larga escala.

Existe uma diferença muito grande no preço dos produtos de perfumaria, dependendo se são classificados como ‘perfume’, ‘água de colônia’ ou ‘loção pós-barba’. Estas diferentes classificações refletem, na realidade, a composição da mistura que você está comprando. Os perfumes contêm misturas de fragrâncias dissolvidas em um solvente, geralmente o etanol. O etanol, por sua vez, contém sempre uma pequena quantidade de água. A Tabela 1 ilustra as diferentes composições para produtos de perfumaria. Quanto maior a porcentagem das essências nas fragrâncias, maior o preço do produto.

Fonte: Revista QUÍMICA NOVA NA ESCOLA

Fonte: Revista QUÍMICA NOVA NA ESCOLA

Curiosidades sobre perfumes:

  • Nada do que eu informei aqui e nada do que você encontrar na internet através de suas buscas para saber mais dos processos de produção de perfume, irão te dar tanto conhecimento como o que você irá encontrar se assistir“Perfume – A história de um assassino”.
  • Arqueólogos que abriram o túmulo do faraó Tutankhamon em 1922 encontraram vasos com um óleo perfumado conhecido como Kiphi. Após 3 300 anos, traços do aroma ainda puderam ser detectados.
  • O ano de 1900 representou o auge no comércio do óleo de almíscar (musk), quando cerca de 1 400 kg do óleo foram coletados, causando a morte de 50 mil animais.
  • Atualmente, o comércio mundial do óleo de almíscar natural é limitado a 300 kg por ano, o que ainda representa a morte para alguns milhares de veados almiscareiros.
  • O óleo de jasmim natural custa cerca de R$5 000,00 por quilograma. A mesma quantidade da fragrância artificial chega a custar R$5,00.
  • São necessárias cinco toneladas de rosas para se obter 1 quilograma de óleo essencial.
  • Um quilograma de óleo essencial de jasmim requer para ser obtido cerca de 8 milhões de flores.
  • Vídeo: A química do fazer.

Referências:

Loja Du Perfume, Processo de produção de perfumes, [acesso em  12 março de 2016]; Disponível em: http://lojaduperfume.com.br/processos-de-producão-do-perfume/

Com Ciência, A divina química das fragrâncias, [acesso em  14 março de 2016]; Disponível em:http://www.comciencia.br/comciencia/?section=8&edicao=28&id=331

Revista Ciência Hoje,  Há algo no Ar: A química e os Perfumes, edição 283, pág, 27, [acesso em  13 março de 2016]

Revista Mundo Estranho, [acesso em  13 março de 2016]; Disponível em: http://mundoestranho.abril.com.br/materia/como-sao-feitos-os-perfumes

Revista Química Nova na Escola, Perfumes N° 4, NOVEMBRO 1996, pág 3, [acesso em  13 março de 2016]; Disponível em: http://qnesc.sbq.org.br/online/qnesc04/quimsoc.pdf

Autor: Roberta Hernandez Núñez – FURG