A NANOTECNOLOGIA COMO ESTRATÉGIA PARA O DESENVOLVIMENTO DE COSMÉTICOS

“A nanotecnologia aplicada à cosmética refere-se à utilização de pequenas partículas contendo princípios ativos que são capazes de penetrar nas camadas mais profundas da pele, potencializando os efeitos do produto.”

nanotecnologia-samana-470x260

A nanotecnologia está relacionada às estruturas, propriedades e processos envolvendo materiais com dimensões em escala nanométrica. Essas partículas são extensivamente investigadas por promoverem muitas vantagens em relação às formulações tradicionais.

A nanotecnologia possui uma característica de potencializar propriedades físico-químicas em reduzidas concentrações, logo os materiais em escala nanométrica ou nanomateriais tem sido alvo de muitos estudos e pesquisas.

Desenvolvida a partir dos anos 80, a nanotecnologia ainda representa novidade nos produtos cosméticos. O que é utilizado hoje em cuidados pessoais e beleza tem origem nas formulações que antes foram implementadas no segmento farmacêutico, entretanto no Brasil os fabricantes têm que driblar altos valores de maquinário para fabricá-los.

O caminho para nanocosméticos no mercado mundial foi aberto pela empresa francesa Lancôme, divisão de luxo da L’Oréal, há 15 anos em média, com o lançamento de um creme para rosto transportada por nanocápsulas de vitamina E pura para combater o envelhecimento da pele.

Produção de nanocosméticos, especificamente falando, está mundialmente inserida na indústria de cosméticos convencionais, constituindo-se em uma linha de produtos diferenciados de base nanotecnológica, sendo geralmente classificado como um setor específico da indústria química juntamente com os produtos de higiene pessoal e perfumaria.

Sob a missão de atender a demanda do setor nas questões de inovação e tecnologia, o ITEHPEC vem estimulando atividades de pesquisa e desenvolvimento tecnológico do setor.

Nesta corrente, o ITEHPEC criou um Programa de Inovação e Desenvolvimento Tecnológico para a Indústria Cosmética, apoiado em quatro pilares fundamentais: 1. Produção de conhecimento estratégico; 2. Disseminação, aplicação do conhecimento e capacitação de empresas; 3. Elaboração de ambiente propício para a inovação; 4. Inserção das empresas na gestão da inovação.

 
Referências bibliográficas:

[1] COSMÉTICOS COM NANOTECNOLOGIA. Disponível em: <http://www.vilamulher.com.br/beleza/corpo/cosmeticos-com-nanotecnologia-2-1-13-81.html>. Acesso em: 16 mar. 2016.
[2] A nanotecnologia como estratégia para o desenvolvimento de cosméticos. Disponível em: <http://cienciaecultura.bvs.br/scielo.php?pid=S0009-67252013000300011&script=sci_arttext>. Acesso em: 16 mar. 2016.
[3] SANTOS, Profa Elisabete P. NANOTECNOLOGIA Fundamentos, Aplicações e Oportunidades. Disponível em: <https://www.abihpec.org.br/conteudo/nanotecnologia/RJ/RJ-ABIHPE-ElisabeteSantos.pdf>. Acesso em: 16 mar. 2016.
[4] NANOTECNOLOGIA APLICADA À COSMÉTICOS: AVALIAÇÃO DA ROTULAGEM DE COSMÉTICOS COM NANOTÉCNOLOGIA. Disponível em: <http://siaibib01.univali.br/pdf/Anne Desirre Reis, Marcela Silvestrim.pdf>. Acesso em: 16 mar. 2016.
[5] Nanotecnologia em Cosméticos Documento de Referência. 2013. Disponível em: <http://www.portalinovacaohppc.com/Uploads/AnalisesEstudos/20160128124939_DocdeRefer25C325AAnciaNanotecnologia1.pdf>. Acesso em: 16 mar. 2016.

IMAGEM 1: NANOTECNOLOGIA EM COSMÉTICOS. Disponível em: <http://samana.com.br/blog/nanotecnologia-em-cosmeticos/>. Acesso em: 16 mar. 2016.

 

 

 

Assessor de conteúdo: Filipe Anderson D’Abreu Dias (UNIFACS)