7 FERRAMENTAS DA QUALIDADE

“As ferramentas da qualidade são utilizadas para definir, mensurar, analisar e propor soluções aos problemas identificados que interferem no desempenho dos processos organizacionais”

Untitled-Infographic-2-1Ferramentas da Qualidade são técnicas que se podem utilizar com a finalidade de definir, mensurar, analisar e propor soluções para problemas que eventualmente são encontrados e interferem no bom desempenho dos processos de trabalho.
As ferramentas da qualidade foram estruturadas, principalmente, a partir da década de 50, com base em conceitos e práticas existentes. Desde então, o uso das ferramentas tem sido de grande valia para os sistemas de gestão, sendo um conjunto de ferramentas estatísticas de uso consagrado para melhoria de produtos, serviços e processos.
As 7 Ferramentas do Controle de Qualidade são: Fluxograma, Diagrama Ishikawa (Espinha-de-Peixe), Folha de Verificação, Diagrama de Pareto, Histograma, Diagrama de Dispersão e Cartas de Controle.
Estas sete ferramentas fazem parte de um grupo de métodos estatísticos elementares, que devem ser de conhecimento de todas as pessoas envolvidas com a empresa, do presidente aos colaboradores, e, por isso, devem fazer parte dos programas básicos de treinamentos das organizações.
Na engenharia química em especifico, é muito utilizado o 6 sigma onde é um conjunto de práticas originalmente desenvolvidas pela Motorola para melhorar sistematicamente os processos ao eliminar defeitos. Um defeito é definido como a não conformidade de um produto ou serviço com suas especificações.
1- Fluxograma
2Fluxograma é um tipo de diagrama, que pode ser utilizado para evidenciar o fluxo e determinadas etapas de um processo. Pode ser feito através de figuras geométricas e setas indicativas. É uma forma fácil e rápida de compreender uma sistemática ou processo produtivo com suas diferentes etapas, documentos e respectivas ações. Deve ser simples e objetivo para melhor compreensão do esquema por ele representado.

 

2- Diagrama de causa e efeito
3O Diagrama de Ishikawa, também conhecido como Diagrama de Causa e Efeito ou Diagrama de Espinha-de-peixe, é uma ferramenta gráfica utilizada para o gerenciamento e Controle da Qualidade em processos diversos, especialmente na produção industrial. Originalmente proposto pelo engenheiro químico Kaoru Ishikawa em 1943 e aperfeiçoado nos anos seguintes.
Em sua estrutura, as causas dos problemas (efeitos) podem ser classificadas como sendo de seis tipos diferentes quando aplicada a metodologia 6M:
• Método: quando a não conformidade é decorrente do método utilizado;
• Matéria-prima/material: quando o material utilizado não está em conformidade;
• Mão-de-obra: toda causa que envolve uma atitude do colaborador (ex: procedimento inadequado, pressa, imprudência, ato inseguro, etc.)
• Máquina: causa relacionada com o equipamento utilizado;
• Medida: toda causa que envolve os instrumentos de medida, sua calibração, a efetividade de indicadores em mostrar as variações de resultado, se o acompanhamento está sendo realizado, se ocorre na frequência necessária etc.
• Meio ambiente: toda causa que envolve o meio ambiente em si (poluição, calor, poeira, etc.) e o ambiente de trabalho (layout, falta de espaço, dimensionamento inadequado dos equipamentos, etc.).
3- Folhas de verificação
4As folhas de verificação são tabelas ou planilhas usadas para facilitar a coleta e análise de dados.
A sua utilização tem como finalidade a economia de tempo, eliminando o trabalho de se desenhar figuras ou escrever números repetitivos. Além disso, elas evitam comprometer a análise dos dados.
Fundamental é que todos os dados referentes a um projeto ou processo sejam listados e seu acompanhamento e/ou a realização de uma atividade descrita seja checada com relação ao seu cumprimento.

 

4- Diagrama de Pareto
5O diagrama de Pareto é um gráfico de barras que ordena as frequências das ocorrências, de maior para menor, permitindo a priorização dos problemas. O princípio de Pareto: 80% das consequências advêm de 20% das causas, isto é, há muitos problemas sem importância diante de outros mais graves. Sua função é permitir uma fácil visualização e identificação das causas ou problemas mais importantes, possibilitando a concentração de esforços sobre os mesmos.

5- Histograma
6O histograma, também conhecido como diagrama das frequências ou distribuição de frequências, é um gráfico com barras verticais justapostas utilizado para estatística, no qual a base de cada um deles corresponde ao intervalo de classe e a sua altura à respectiva frequência. É um importante indicador da distribuição de dados.

 

6- Diagrama de dispersão
7O diagrama de dispersão é o método gráfico de análise que permite verificar a existência ou não de relação entre duas variáveis de natureza quantitativa, ou seja, variáveis que podem ser medidas ou contadas, tais como: horas de treinamento, número de horas em ação, intensidade, velocidade, tamanho do lote, pressão, temperatura, etc.
Benefícios de sua utilização:
• Relação causal entre variáveis;
• Ajuda na determinação da causa raiz de problemas.
• É usado para verificar uma possível relação de causa e efeito.
• Determina a intensidade de uma variável
7- Cartas ou gráficos de controle
8Cartas de controle são dados coletados durante um processo e que são utilizados para o acompanhamento e comprovação de sua eficiência através de gráfico. Este determina estatisticamente uma faixa entre os limites inferiores e superiores estabelecidos em um parâmetro de controle, além de uma linha média. O objetivo é verificar, por meio do gráfico, se o processo está sob controle, ou, seja, que não possui desvios de qualidade.
Funções:
• Evidencia que um processo está operando dentro de uma faixa estabelecida de controle (parâmetro).
• Detecta a presença de causas especiais de variação para que medidas corretivas apropriadas sejam aplicadas.
• Indica os resultados de um processo para que sejam tomadas ações de melhoria, quando aplicável.

Formas de aplicação:
• Registros cronológicos regulares (dia-a-dia, hora-a-hora) de uma ou mais características (peso médio, fiabilidade de comprimidos, etc) calculadas em amostras de um produto coletadas durante fases pré-determinadas de um processo.
• Valores são dispostos, pela sua ordem, em um gráfico que possui uma linha central e dois limites, denominados “limites de controle”
• Pontos dispostos fora dos limites de controle indicam que o processo está fora de especificação.
Benefícios dos gráficos de controle:
• Aumento na porcentagem de produtos capazes de satisfazer aos requisitos do cliente.
• Diminuição do retrabalho, diminuindo, consequentemente, os custos de fabricação.
• Aumento da probabilidade geral de produtos aceitáveis.
• Informações para melhoria do processo.
Referências bibliográficas:
[1] 11 ferramentas da qualidade e suas estratégias de gestão. Disponível em: <http://www.farmaceuticas.com.br/11-ferramentas-da-qualidade-e-suas-estrategias-de-gestao/>. Acesso em: 10 abr. 2016.
[2] As sete ferramentas da qualidade. Disponível em: <http://www.blogdaqualidade.com.br/as-sete-ferramentas-da-qualidade/>. Acesso em: 10 abr. 2016.
[3] AS 7 FERRAMENTAS DA QUALIDADE. Disponível em: <http://www.aprendersempre.org.br/arqs/9 – 7_ferramentas_qualidade.pdf>. Acesso em: 10 abr. 2016.
IMAGEM 1: 7 FERRAMENTAS DE QUALIDADE. Disponível em: <http://smartconsultoria.com/site/wp-content/uploads/2015/05/Untitled-Infographic-2-1.png>. Acesso em: 10 abr. 2016.
IMAGEM 2: FLUXOGRAMA. Disponível em: <http://www.farmaceuticas.com.br/wp-content/uploads/2014/07/gestao-processo-fluxograma.jpg>. Acesso em: 10 abr. 2016.
IMAGEM 3: Diagrama de causa e efeito. Disponível em: <http://www.farmaceuticas.com.br/wp-content/uploads/2014/07/diagrama-de-ishikawa-2.jpg>. Acesso em: 10 abr. 2016.
IMAGEM 4: Folhas de verificação ou Check list. Disponível em: <http://www.farmaceuticas.com.br/wp-content/uploads/2014/07/checklist-green.jpg>. Acesso em: 10 abr. 2016.
IMAGEM 5: DIAGRAMA DE PARETO. Disponível em: <http://citisystems.com.br/wp-content/uploads/2012/11/diagrama-de-pareto1.jpg>. Acesso em: 10 abr. 2016.
IMAGEM 6: Histograma. Disponível em: <http://www.farmaceuticas.com.br/wp-content/uploads/2014/07/Histograma.png>. Acesso em: 10 abr. 2016.
IMAGEM 7: Diagrama de dispersão. Disponível em: <http://www.farmaceuticas.com.br/wp-content/uploads/2014/07/diagrama-de-dispersao.gif>. Acesso em: 10 abr. 2016.
IMAGEM 8: Cartas ou gráficos de controle. Disponível em: <http://www.farmaceuticas.com.br/wp-content/uploads/2014/07/desempenho.jpg>. Acesso em: 10 abr. 2016.
Assessor de conteúdo: Filipe Anderson D’Abreu Dias (UNIFACS)