ENGENHARIA QUÍMICA USADA PARA CONSTRUÇÃO DE ÓRGÃOS SINTÉTICOS E TECIDOS

USANDO ENGENHARIA QUÍMICA PARA CONSTRUÇÃO DE TECIDOS E ÓRGÃOS SINTÉTICOS OU SEMISSINTÉTICOS FUNCIONAIS

O que seria um biomaterial? Biomaterial é qualquer substância ou combinações de substâncias, sintética ou natural, que possa ser usada por um período de tempo, completa ou parcialmente como parte de um sistema que trate, aumente ou substitua qualquer tecido, órgão ou função do corpo. É uma área em rápido crescimento, cujo desenvolvimento requer uma competência multidisciplinar, envolvendo ciências básicas, engenharias e as áreas de saúde. Em virtude disso, cada vez mais encontra se engenheiros químicos trabalhando em pesquisas nesse ramo.

Nas demais áreas os biomateriais alcançam desenvolvimentos de pesquisas voltadas em medicina regenerativa, odontologia, engenharia de tecidos, tintas, biocerâmicas, filmes e recobrimentos, modificações superficiais de materiais implantáveis, desenvolvimento de biopolímeros e biocompósitos, desenvolvimento de substratos para fixação de biomoléculas, biosensores, engenharia de tecidos, dentre outros.

Em todas as suas etapas de produção necessita-se de profissionais com variadas formações para que a análise possa ser feita de forma a abranger os vários aspectos requeridos, então acaba por se aumentar a procura de  químicos, farmacêuticos, engenheiros, físicos, biólogos, médicos e dentistas. Desta forma, pode-se seguramente afirmar que a abordagem para o desenvolvimento dos biomateriais é, por natureza, multidisciplinar e que prioriza a diferença de áreas para as suas necessidades.

A engenharia química se mostrando indispensável para a realização de construção de tecidos e órgãos.

A Engenharia Química na biotecnologia

A Biotecnologia e a engenharia química têm desempenhado um papel primordial em fornecer soluções para vencer os desafios que a humanidade atualmente enfrenta. Os engenheiros químicos possuem o saber para desenvolver soluções e contribuir para a realização do conceito de sustentabilidade, que é um derivado do conceito de sustentabilidade industrial. Os recursos materiais e energéticos têm de ser mais bem geridos, enquanto os resíduos e o nível de poluição têm de ser reduzidos. Significa isto que todas as componentes de um processo têm de ser concebidas e projetadas de modo a reduzir os impactes ambientais negativos, tendo em conta os ciclos de vida dos produtos e dos processos. Neste contexto, a Biotecnologia moderna apresentasse como uma alternativa para o desenvolvimento de tecnologias mais limpas e de processos sustentáveis, estando, ainda que lentamente, a percorrer caminhos de penetração nos processos industriais existentes.

Áreas já em atuação

Ainda desconhecida essa nova área da engenharia que esta crescendo já conta com suas áreas de atuação realizando trabalhos de reconstrução contando com órgãos como:

A pele

Usada principalmente em pacientes com úlcera de pele, as células são colhidas do prepúcio de bebês recém-nascidos e semeadas em um polímero biodegradável originalmente desenvolvido para suturas cirúrgicas.

Cartilagem e ossos

Sem irrigação por vasos capilares, o tecido cartilaginoso não requer muita tecnologia para ser reproduzido. Hoje já se fazem implantes de células de cartilagem em articulações. No caso dos ossos, os médicos implantam enxertos de polímeros biodegradáveis, unindo as partes do osso lesado e esperam que as próprias células desses ossos tomem conta da estrutura porosa.

Olhos

Já existem córneas bioartificiais em testes pré-clínicos. Na Universidade de Toronto, no Canadá, foi desenvolvido um biomaterial óptico transparente de boa adesão para tratar cegueira provocada por problemas na córnea.

Coração

A cardiologia é uma das áreas que mais têm avançado na engenharia de tecidos. Terapias com célula-tronco desenvolvidas no Brasil, por exemplo, têm tido ótimos resultados na recuperação de pacientes infartados e com mal de Chagas. Já se fabricam pedaços do miocárdio capazes de pulsar e válvulas que apresentam bons resultados.

Rins, dentes, bexiga fígado fazem parte desta lista de órgãos onde já tem casos de construção, e em até mesmo alguns anos podemos reestruturar sorrisos, construir partes do corpo, e tudo isso a partir de uma célula.

 

Referências:

super.abril.com.br/ciencia/fabrica-de-orgaos/

labdegaragem.com/profiles/blog/list?tag=3D&user=2rqvocqvxr9em

http://labvirtual.eq.uc.pt/siteJoomla/index.php?option=com_content&task=view&id=115&Itemid=2

Deixe aqui a sua opinião