INDÚSTRIA VEGANA E A ENGENHARIA QUÍMICA

”Os dados do Google Trends mostram que o crescimento no volume de buscas pelo tema tem aumentado de duas a três vezes a cada ano, em relação ao ano anterior”, Sociedade Vegetariana Brasileira.

 Segundo publicação da Juliana Carreiro, estima-se que no Brasil quase 5 milhões de pessoas já pratiquem o veganismo, um modo de viver resumido pelo não consumo de produtos de origem animal ou testados em animais. Alimentos, roupas, cosméticos, calçados e acessórios, entre outros itens com estas características. Normalmente os seus adeptos têm motivações ideológicas e ambientais.

 Quais são os benefícios do consumo de orgânicos?

 O consumo de produtos orgânicos permite o fortalecimento natural de nossa saúde, bem como os mecanismos de defesa de nosso organismo. Contribuímos com a conservação dos recursos naturais, com a recuperação da fertilidade do solo e com a qualidade de vida do produtor e do trabalhador.

 Além disso, consumimos alimentos mais saborosos, ajudamos a reduzir a quantidade de agrotóxicos e adubos químicos, protegendo a qualidade dos solos, da água e do ar.  A produção orgânica ajuda a preservar a biodiversidade, é  uma produção agrícola mais natural, que não utiliza agrotóxicos, transgênicos e fertilizantes sintéticos. Consumindo orgânicos, desenvolve-se o papel de agentes de transformação social e ambiental, praticando um exercício de cidadania e deixando, às futuras gerações, a esperança de uma vida justa e harmoniosa neste planeta.

Fonte: Google

 Mas como unir o Veganismo com a Engenharia Química?

 A relação entra a Indústria Vegana e a Engenharia Química pode ter início na produção de cosméticos orgânicos. Uma indústria baseada nesse conceito é a Souvie. A marca possui própria fazenda, localizada no interior de São Paulo, sem uso de agrotóxicos e testes em animais. ”Cosméticos que cuidam da saúde da pele. Para isso dissemos “não” a muitos dos paradigmas do mercado. Não aos parabenos. Não às fragrâncias sintéticas. Não aos corantes e não aos testes com animais.” 

 No Brasil, é necessário realizar uma certificação dos produtos orgânicos utilizados, a qual pode ser feita por agências locais, internacionais ou por parcerias entre elas. Pode também ser realizada por grupos de pequenos produtores, desde que existam mecanismos internos de controle que sigam os padrões da agricultura orgânica. Nesses casos, é comum a comercialização da produção através de feiras de produtores e não há preocupação com exportação.

 Quais matérias-primas são proibidas em um produto orgânico?

Segue uma tabela da Ecycle mostrando produtos proibidos e permitidos pela Ecocert, Organismo de Inspeção e Certificação.

 

 Para engenheiros que buscam inovar sem agredir os animais e o meio-ambiente, a indústria orgânica é uma excelente aposta, já que abrange desde alimentos, passando por tecidos e indo até cosméticos orgânicos.

Referências:

https://www.ecycle.com.br/component/content/article/67/2099-cosmeticos-organicos-naturais-convencionais-deferencas-tipos-materia-prima-composicao-definicao-consumidor-como-fazer-receitas.html

https://www.svb.org.br/vegetarianismo1/mercado-vegetariano

http://www.brazil.ecocert.com/

http://www.souvie.com.br/

 

Deixe aqui a sua opinião