BEBIDAS E ENGENHARIA QUÍMICA: A HISTÓRIA DA TEQUILA

Vinda do México, a tequila é uma aguardente que conquistou as noites de bebedeiras ao redor do mundo todo. São diversos métodos de produção que resultam em uma bebida forte e marcante.

Mas como foi que surgiu uma bebida tão forte quanto essa?

Originalmente, ela vem de uma planta conhecida como Agave-Azul, ou Agave Tequilana. Os povos astecas tinham algumas lendas sobre o surgimento da planta e da bebida, e nós vamos conhecer tudo sobre a origem e a história da tequila a seguir.

A palavra “tequila” significa “montanha de fogo” e recebeu esse nome devido aos índios “Tequilis” que habitavam a região de Tequila, no México, próximos de um vulcão.

A agave-azul  leva entre 8 e 12 anos para estar pronta para a extração do necessário para produzir cerca de 1 litro da bebida. A planta só se desenvolve em terrenos com clima tipicamente árido e, com preferência, em solo vulcânico.

A agave-azul cresce diferentemente dependendo da região. Agaves-azuis plantadas em áreas altas são maiores e mais doces em aroma e sabor. Agaves das áreas mais baixas tem um sabor e fragrância mais herbáceos.

Essa planta não foi usada inicialmente para a produção de tequila. Muito antes disso, suas folhas eram utilizadas na construção de telhados, produção de cordas, agulhas, alfinetes e até pregos. Segundo registros, apenas no século XVI foi que os habitantes da região de origem espanhola descobriram que era possível produzir a bebida através dessa planta.

Lendas sobre a Tequila

Quanto ao seu surgimento, não existem informações exatas quanto a quem inventou ou produziu a primeira tequila. Apesar disso, algumas histórias astecas contam mitos de como a bebida apareceu na nossa vida.

As lendas do surgimento da Tequila vêm do tempo dos astecas.

A história mais popular diz respeito à uma deusa da fertilidade asteca, que era a mãe de quatrocentos coelhos divinos e, um dia, percebeu que um dos coelhos, ao se alimentar de uma plantação de agave, estava agindo um pouco estranho. A deusa cortou um pedaço da planta e deixou descansar ao ar livre, onde o néctar fermentou e deu origem à tequila.

Outro mito asteca conta que a bebida foi descoberta após um raio atingir uma planta de agave. Por ter sido queimada pelo raio, ela liberou um néctar de aroma agradável, que ficou conhecido como “dádiva de Deus”, pela maneira como fora descoberta e, também, pelas sensações que causava àqueles que o bebiam.

Como surgiu o shot?

 

Quando pensamos em tequila, sempre acabamos pensando em shots, mas de onde surgiu a tradição de consumir a bebida desse jeito? A resposta pode lhe decepcionar um pouco, pois, assim como o surgimento da tequila, ninguém sabe ao certo quando começou. Assim como as lendas astecas, porém, existem lendas urbanas sobre como essa moda pegou.

Conta-se que durante uma epidemia por cerca de 1918, alguns médicos passaram a receitar que pacientes tomassem shots de tequila durante o tratamento, devido ao efeito da bebida esquentar o organismo. Depois que a epidemia passou, algumas pessoas continuaram querendo fazer o tratamento, apenas para ter uma desculpa para beber tequila, é claro. E, assim, pegou a moda de tomar shots de tequila.

Tipos de Tequilas

A bebida apresenta diferentes graus de cor, sabor e aroma conforme o tempo de envelhecimento.

  • Blanco (“Branco”) ou Plata (“Prata”), engarrafada imediatamente ou até 2 meses de maturação em barris de aço inoxidável ou carvalho neutro;
  • Joven (“Jovem”) ou Oro (“Ouro”), uma mistura de Blanco e Reposado;
  • Reposado (“Descansado”), engarrafada após 2 meses, mas menos de um ano de maturação em barris de carvalho de qualquer tamanho;
  • Añejo (“Velho”), envelhecimento no mínimo um ano de maturação, mas menos de três, em barris de carvalho pequenos;
  • Extra Añejo (“Extra Velho”), envelhecido pelo menos três anos. (categoria estabelecida em 2006).

A autêntica tequila precisa ter pelo menos 51% de açúcar proveniente do cozimento da parte central da planta e ser fabricada por algum desses cinco estados mexicanos: Jalisc, Guanajuato, Michoacán, Tamaulipas e Nayarit.

O México exige o direito internacional exclusivo da palavra “tequila”, ameaçando ações legais contra produtores de destilados de agave-azul em outros países.

A graduação alcóolica média de uma tequila é de 40%.

Para saber mais clique aqui ou aqui.

Deixe aqui a sua opinião