BEBIDAS E ENGENHARIA QUÍMICA: RED BULL

“O que importa é o que o consumidor pensa quando segura uma lata de Red Bull nas mãos”.

Com esta objetividade, a empresa de bebidas austríaca criou uma das marcas mais reconhecidas do planeta a partir de um único produto.

Red Bull é uma bebida energética sem álcool que se tornou um sucesso em mais de 140 países. Em 2006, foram vendidas mais de 3 bilhões de latas desse energético no mundo.

História da Red Bull

A história da Red Bull se inicia em 1984, quando o empresário austríaco Dietrich Mateschitz fez uma viagem de negócios à Tailândia. Ao chegar a esse país asiático, Mateschitz começou a sofrer de Jet Lag, um distúrbio físico causado pela diferença de fuso horário após uma longa viagem de avião. Então, casualmente, descobriu uma bebida chamada Krating Daeng, que continha altas doses de cafeína e uma substância estimulante chamada taurina. A bebida não só curou seu Jet Lag como fez Mateschitz reparar que a mesma fazia um grande sucesso local.

Ao perceber o potencial do produto, Mateschitz decidiu levar amostras da bebida para a Áustria e iniciar sua fabricação em uma grande escala industrial. Devido às altas doses de cafeína que há na fórmula e o receio de efeitos colaterais no organismo, a autorização para a fabricação foi obtida somente três anos depois, mas a espera foi recompensada.

O sucesso foi progressivo e contagiante a ponto de, atualmente, a Red Bull estar presente em cerca de 140 países e vender, em média, 3 bilhões de latas por ano. Além da novidade da bebida em si – com um sabor inusitado -, Mateschitz, aproveitando sua experiência e conhecimentos em marketing, criou uma nova estratégia a ponto de afirmar que “O marketing é a nossa principal matéria-prima, sem esquecer o produto, que é a pré-condição”. Faz parte dessa estratégia a famosa latinha da Red Bull, cujo design inovador atraiu os consumidores. Seu rotulo com as cores azul e prata é conhecido em todo o mundo.

Aliado a isso, há um eficiente esquema de distribuição que inclui carros pintados com as cores dos rótulos das latas de Red Bull e a contratação de universitários para serem representantes da marca junto ao público jovem. Aliás, é justamente esse mesmo público jovem que é o alvo preferencial da companhia. Seus bens comerciais produzidos  transmitem exatamente essa imagem de juventude e de emoções fortes associados ao produto que vão dos esportes radicais à cultura hip-hop.

A fórmula do energético Red Bull não é protegida por patentes ou royalties. Apesar disso ou devido a isso (há quem diga que faz parte de sua estratégia de marketing), a companhia não se vê ameaçada pela concorrência – que inclui a poderosa Coca-Cola – que lançou produtos similares, mas nenhum deles foi até agora capaz de derrubar o reinado da empresa austríaca.

Esportes

Porém, a Red Bull não seria a Red Bull se não fossem pelos esportes. A empresa patrocina centenas de eventos de esportes e atletas do planeta inteiro. Por um lado, isso faz parte do marketing da empresa para com os jovens, mas também é uma influência direta de Dietrich Mateschitz, um entusiasta das atividades esportivas, principalmente aquelas que envolvem altas doses de adrenalina. Os esportes patrocinados pela Red Bull vão dos tradicionais futebol, basquetebol, automobilismo, motociclismo, hóquei no gelo (esporte popular na Áustria) até os mais inusitados como o Speedride, uma mistura de paraquedismo com esqui na neve e o Soapbox, que no Brasil é chamado de carrinho de rolimã.

O porte dos eventos também é variável: a empresa empresta sua marca desde um circuito internacional de corrida de aviões até um campeonato de Taco realizado em Campinas, no interior de São Paulo.

O número de ações, indivíduos ou equipes patrocinadas pela companhia é numeroso e diversificado, o que permite a geração de uma grande massa de conteúdo a partir do desempenho dos apoiados. Os eventos proprietários também criam uma atmosfera de alto impacto sobre o cotidiano das localidades nas quais são realizados, de modo a gerar um elevado grau de repercussão sobre tais acontecimentos.

Nos últimos tempos a Red Bull vem tentando conquistar o público infantil. Nos jogos de futebol e em outros eventos, é comum a presença do mascote da equipe, um touro vermelho, o que acaba atraindo as crianças. No Brasil, foi feito um concurso no site do Red Bull Brasil para se escolher o nome do mascote que terminou por ganhar o nome de Toro Loko.

 

Atualmente, a Red Bull é uma verdadeira marca global. É inclusive objeto de estudos acadêmicos, mas, segundo o que diz em seu site oficial brasileiro, “Embora tudo isso seja bem interessante, a Red Bull não se envolve nesse tipo de especulação. O que conta é o que o consumidor pensa de Red Bull quando segura uma lata nas mãos”.

 A Bebida

Na composição da bebida foi empregada uma mistura de vitaminas B1, B2 e B6, mais niacina e especialmente taurina, todos agentes metabólicos com a finalidade de incrementar energia e concentração. A popularidade destas “bebidas tônicas” cresceu na Ásia.

Atribui-se a um expressivo aumento do número de acidentes de carros com jovens, infelizmente muitos fatais, ao consumo de bebidas alcoólicas junto com energéticos como Red Bull.

Para saber mais clique aqui ou aqui