DESCOBERTO COMBUSTÍVEL LIQUIDO PARA ARMAZENAR ENERGIA DO SOL

Energia solar

A energia solar é um tipo de energia verde que continua a ser muito explorada a nível mundial. Não importa se é renovável ou abundante, mas a verdade é que armazenar a energia solar de forma eficiente a longo prazo, ainda é bastante dispendioso.

Talvez seja um grande impeditivo para a sua adoção em larga escala, mas um grupo de cientistas suecos acredita ter descoberto uma solução que permite armazenar a energia solar em estado líquido durante 18 anos.

O professor do Departamento de Química e Engenharia Química na Universidade de Chalmers (Suécia), Kasper Moth-Poulsen revelou que a energia neste isômero pode agora ser armazenada durante 18 anos. E quando extraímos a energia e a usamos, obtemos um aumento de calor que é maior do que nos atrevemos a esperar.Os cientistas suecos desenvolveram um fluído constituído por hidrogênio, carbono e nitrogênio que armazena a energia do Sol em forma de calor e, mais tarde, a mesma é libertada através de um catalisador à base de cobalto.

Combustível térmico solar

Segundo o engenheiro do MIT, Jeffrey Grossman a definição de um combustível térmico solar tem um funcionamento parecido com o de uma bateria recarregável, mas, em vez de eletricidade, a luz solar aquece e pode ser acionada sob demanda de energia.

O fluido é na verdade uma molécula na forma líquida que os cientistas da Chalmers University of Technology, na Suécia, vêm trabalhando para melhorar há um ano. Esta molécula é composta de carbono, hidrogênio e nitrogênio, e quando é atingida pela luz do sol, faz algo incomum: as ligações entre seus átomos são rearranjadas e se transforma em uma nova versão energizada de si, chamada isômero. Como a presa capturada em uma armadilha, a energia do sol é assim capturada entre as fortes ligações químicas do isômero, e permanece lá mesmo quando a molécula esfria até a temperatura ambiente.

Com o catalisador, as moléculas voltam à sua forma original e a energia solar é libertada. A transformação permite a passagem da temperatura do líquido dos 20ºC para os 83ºC.

“Quando extraímos energia para usar, conseguimos um aumento de calor que é maior do que ousamos esperar”, afirma Kasper Moth-Poulsen.

Esta descoberta tem imenso potencial e promete revolucionar este tipo de energia renovável. Os cientistas acreditam que poderá vir a ser utilizada para aquecer a água doméstica, sendo um método alternativo viável aos sistemas que usam combustíveis fósseis que emitem gases CO2.

Embora seja uma tecnologia promissora, a mesma ainda não está pronta ao público. Kasper Moth-Poulsen acredita que deverá ser comercializada daqui a 10 anos.

Para ler mais sobre o assunto clique aqui.