QUÍMICA DOS PERFUMES I: VISÃO GERAL E INICIO DE TUDO

Perfumes são produtos especiais porque estimulam uma série de sentidos e emoções. Um cheiro pode despertar lembranças de pessoas e lugares. Mas você já parou para pensar na história por trás da beleza dos perfumes? Quando começaram e como são produzidos? 

Desde os primórdios da história, existem registros de que seres humanos buscam mascarar ou realçar seus próprios odores usando perfume. Inicialmente, os perfumes buscavam principalmente imitar os cheiros agradáveis da natureza. No Egito Antigo, oferendas religiosas eram feitas queimando-se incenso feito de mirra, canela e zimbro. Os primeiros egípcios também perfumavam os mortos e atribuíam fragrâncias específicas para cada divindade. Na Bíblia, fala-se dos Reis Magos levando mirra e incenso como presentes.

Essa tradição dos egípcios espalhou-se e inspirou gregos e romanos. Por muitos anos após a queda do Império Romano, o perfume era uma arte oriental e começou a espalhar-se para a Europa a partir do século XIII, após as Cruzadas, quando amostras foram trazidas para a França, Inglaterra e Itália.

O termo “perfume” vem do latim “per”, que significa através de e “fumum”, que significa fumaça. Isso porque a base dos perfumes eram óleos naturais de plantas, que eram extraídos através de prensagem e queimados para liberar e espalhar sua essência.

Atualmente, não apenas o processo de produção dos em si perfumes evoluiu, mas também a embalagem. A manufatura de embalagens de perfume espalhou-se pela Europa e atingiu seu pico no século XVIII, quando os vidros de perfume adquiriram formas de animais ou tinham cenas pastorais pintadas nelas. Hoje, as embalagens são desenhadas para refletir a característica da fragrância.

A produção e comercialização em passa de perfumes começou por volta de metade do século XIX, coincidindo com o aumento da descoberta e uso de compostos químicos sintéticos.  Hoje, a indústria dos perfumes movimenta bilhões de dólares por ano.

A primeira etapa da produção dos perfumes é a coleta da matéria-prima e seu transporte até o lugar da manufatura. As matérias-primas para a produção de perfumes podem ser ingredientes naturais, tais como flores, capins, especiarias, frutas, madeira, raízes, resinas, bálsamos, folhas, gomas e secreções animais ou ainda ingredientes sintéticos, como petroquímicos. Nem todas as plantas produzem óleos essenciais naturalmente. Por isso, químicos sintéticos são usados para recriar e substituir os aromas de plantas não produtoras de óleos ou ainda criar aromas não existentes na natureza.

Algumas substâncias de origem animal são também utilizadas como fixadores para fazer com que o perfume evapore lentamente e emita o aroma por mais tempo. Outros fixadores incluem químicos sintéticos.

Para os óleos derivados de plantas, materiais vegetais são colhidos ao redor do mundo, muitas vezes de forma manual. Produtos animais são normalmente obtidos extraindo-se as substâncias gordurosas diretamente do animal enquanto os aromáticos químicos são criados em laboratórios por perfumistas.

A primeira etapa propriamente dita, é o desenvolvimento da fragrância, que pode levar anos para ser concluído. Depois que a fragrância ou aroma é desenvolvido, o perfume começa a ser produzido em escala laboratorial até ser escalonado para o processo industrial.

Após a coleta e transporte das matérias-primas, vem a etapa de extração dos óleos vegetais, seguida pela etapa de mistura ou combinação dos óleos vegetais para dar origem ao aroma e posteriormente sua mistura com álcool e água. A matéria-prima e os outros componentes são misturados em toneis, conforme os que são vistos na Figura 1.

Figura 1. Exemplos de toneis para produção industrial de perfumes.

Para perfumes finos, tem-se o processo de envelhecimento, para que o perfume ganhe intensidade. Depois disso, o líquido desce por tubos até a máquina envasadora, onde o perfume é colocado em frascos. Normalmente, uma máquina coloca a tampa e outra a proteção e a embalagem.

Agora que temos uma visão geral do processo de produção de perfumes, no próximo texto falaremos dos diferentes métodos para extração dos óleos essenciais de plantas com mais detalhes.

Este texto contém informações empresariais. A BetaEQ informa que não possui parcerias com a empresa em questão e sendo assim garante que o texto é estritamente informativo. O presente texto pertence ao autor e não deve ser reproduzido sem autorização da BetaEQ e do mesmo.

Autoria de: Clarissa Alves Biscainho

Engenheira Química de Empresa Multinacional – Alemanha

Fontes: Métodos de Extração de Óleos Essenciais; How products are made; How Perfumes Are Made. A Master Perfume´s Industry Guide; Como são feitos os perfumes; Fabricando beleza: veja como funciona a produção do Boticário na Bahia.