O USO DAS FERRAMENTAS DA QUALIDADE NA INDÚSTRIA QUÍMICA

Toda empresa que deseja se manter no mercado deve estar sempre antenada quanto à globalização, exigências dos clientes, inovações tecnológicas e a alta competitividade. Para que o objetivo seja alcançado, é importante que as organizações façam uso de eficazes métodos de gestão da qualidade, que envolvem desde o gerenciamento até o controle de qualidade de seus produtos e serviços.

Os métodos e ferramentas de gestão da qualidade auxiliam a empresa no cumprimento de requisitos, bem como evitar problemas que possam vir a comprometer o desempenho e influenciar de forma positiva as atividades organizacionais. Os seguintes métodos de controle de qualidade (Figura 1) tem o objetivo de prever e prevenir problemas a partir de dados coletados e situações observadas anteriormente:

  • Fluxograma: apoio gráfico que apresenta o caminho ideal do processo em uma sequência lógica e descreve cada etapa do processo;

Fluxograma

  • Diagrama de Ishikawa ou Espinha de Peixe: diagrama que apresenta causa e efeito. Utiliza-se a técnica dos 6 M (mão-de-obra, medidas, métodos, meio ambiente, materiais e máquinas) para identificação da causa de um problema específico;

Diagrama de Ishikawa ou espinha de peixe

  • Folhas de verificação: formulários que padronizam e facilitam a coleta de dados específicos às características do produto e/ou processo. A padronização de dados é importante para que os dados sejam facilmente interpretados aumentando, desta maneira, a probabilidade de se identificar o erro;

Folha de verificação para produto defeituoso

  • Diagrama de pareto: gráfico de colunas organizado em ordem crescente quanto a frequência da verificação das ocorrências, mostrando qual deve ser a prioridade de ação do gestor. É baseado no princípio de pareto (regra dos 80/20), onde 80% dos problemas ocorrem devido a 20% das causas.

Diagrama de Pareto

  • Histograma: modelo estatístico que permite verificar a frequência de ocorrências de determinadas situações de uma mesma categoria;

Histograma para se identificar as causas do atraso na entrega de mercadorias

  • Diagrama de dispersão: gráfico de dispersão, mostra, através de dados numéricos, a possível relação entre causa e efeito;

Gráfico de dispersão mostrando a relação entre os dias de atraso de entrega de mercadoria e a satisfação do cliente

  • Cartas de controle: gráficos que mostram se o processo possui alguma anomalia que requer atenção especial e reparo. Esta ferramenta auxilia na identificação da presença de causas comuns (causas inevitáveis: falha no sistema) ou especiais (podem ser evitadas: falha causada pela equipe) de um problema. O seu uso reduz o retrabalho devido à fácil identificação da causa da falha. O ideal é manter a variação dentro do limite da linha média para que seja garantida a qualidade do produto e/ou serviço.

Gráfico de controle

O uso de ferramentas de controle de qualidade, de acordo com a Anvisa, se refere às “atividades referentes à amostragem, às especificações e aos ensaios, bem como à organização, à documentação e aos procedimentos de liberação que garantam que os ensaios sejam executados e que os materiais e os produtos terminados não sejam aprovados até que sua qualidade seja considerada satisfatória”. Sendo assim, em uma indústria química deve haver infraestrutura adequada para que as atividades dos colaboradores da empresa sejam realizadas dentro das normas. Em alguns casos, a depender do porte e das atividades desenvolvidas na empresa, torna-se necessário, também, a presença de uma equipe capacitada a realizar o controle de garantia da qualidade.

A aplicação dos métodos de gestão da qualidade nas indústrias químicas vai além da garantia de permanência no mercado. Caso as ferramentas da qualidade sejam aplicadas de forma ineficiente, além de não conseguir manter-se no mercado devido à concorrência, danos podem ser causados tanto ao meio ambiente pelo descumprimento de normas ambientais, quanto à saúde do consumidor final, no caso de indústria de fármacos e cosméticos. Assim, a aplicação dos métodos de gestão da qualidade deve iniciar desde a seleção de fornecedores até o transporte ao cliente final.

Análise da qualidade de medicamentos

Ferramenta da Qualidade Aplicadas em uma Indústria Farmacêutica

Em uma indústria farmacêutica, a produção de medicamentos manipulados é composta por etapas minuciosas e personalizadas que requerem controle de qualidade rigoroso através da folha de verificação:

Qualificação do fornecedor: os fornecedores devem possuir regularidade fiscal e sanitária e qualidade de insumos comprovada;

Recebimento de insumos: as condições de chegada dos insumos são verificadas por um profissional qualificado;

Análises de identificação dos insumos: após o recebimento dos insumos, estes são enviados ao laboratório de qualidade, onde são realizadas análises e identificação através de equipamentos específicos;

Controle de qualidade terceirizado: empresas e laboratórios terceirizados são responsáveis pela verificação e análise da qualidade da água, cápsulas, matérias-primas e outros;

Peso monitorado: após a realização do pedido, o medicamento manipulado é analisado de acordo com a matéria prima através da leitura do código de barras. Caso seja verificada alguma incoerência como quantidades pesadas diferentes da informada o prosseguimento do medicamento é bloqueado.

Neste caso, a folha de verificação está sendo utilizada como uma prevenção. Caso fosse identificada alguma anomalia na qualidade do produto, outras ferramentas poderiam ser utilizadas afim de se corrigir o problema.

Ferramenta da Qualidade Aplicadas em uma Indústria de Embalagens Plásticas

Em uma indústria de embalagens plásticas foi verificado que a máquina de extrusão não estava funcionando de forma adequada, o que reduziu a produção e elevou o custo. Afim de encontrar a causa do problema para que fosse selecionado, foi utilizado o gráfico de pareto (Figura 1), identificando, por ordem crescente, onde era observada a maior ocorrência de falhas.

Figura 1 – Gráfico de Pareto para identificação de falha em máquina extrusora

Através do gráfico pode ser observado que o maior número de falhas ocorre na enroladeira A, enroladeira B e matriz circular. A partir de então, pode-se realizar o recolhimento de dados históricos, organizando-os em uma folha de verificação. A realização do brainstorming é importante nesta etapa para a construção do diagrama de Ishikawa, relacionando as causas e os efeitos. Outras ferramentas podem ser utilizadas a depender das necessidades da equipe. Assim, o processo de identificação da falha e a elaboração do plano de ação corretivo tornam-se mais fáceis e objetivos.

Existem softwares no mercado capazes de organizar os dados facilitando a interpretação dos resultados para que medidas preventivas e/ou corretivas possam ser implantadas com maior rapidez e eficiência. Logo, um engenheiro químico que atue no setor de gestão da qualidade deve estar sempre atualizado e conhecer as melhores opções para a companhia em que atua, estando comprometido, assim, com a manutenção do bom desempenho do processo e a satisfação do consumidor final com o seu produto ou serviço.

O presente texto pertence ao autor e não deve ser reproduzido sem autorização da BetaEQ e do mesmo.

 

Autoria de: Camila Teles de Rietra Garcia

Estudante de Engenharia Química da Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri         (UFVJM) – Diamantina, MG

Fonte: Anvisa, Conheça as 7 Ferramentas da gestão de qualidade, FERRAMENTAS DA QUALIDADE: APLICAÇÃO EM UMA INDÚSTRIA DE EMBALAGENS PLÁSTICAS PARA REDUÇÃO DE QUEBRAS NAS MÁQUINAS EXTRUSORAS, Ferramentas da Qualidade: Conceito e Aplicação, Vita Essência – Controle de Qualidade.

Deixe aqui a sua opinião