INCRUSTAÇÕES EM TUBULAÇÕES E EQUIPAMENTOS

A incrustação é o acumulo de compostos indesejáveis nas paredes das tubulações ou de equipamentos, o que pode acontecer devido a variações termodinâmicas ao longo do processo, precipitação do composto, reações químicas entre compostos, evaporação da água, pontos dentro do processo que não possuem pressão constante – em acessórios como válvulas – entre outras causas.

As incrustações mais comuns são decorrentes de sulfatos e carbonatos de cálcio e magnésio, como acontece nos casos de transporte de água – devido as características químicas desse fluido, quanto mais mineralizada maior é a chance de incrustação.

Em consequência disso podem surgir grandes problemas, como o entupimento da tubulação, paradas no processo, corrosão e danificações de equipamentos. Por isso, é importante que a indústria acompanhe a linha de processo e estude as propriedades dos componentes nas condições empregadas, para quando necessário realizar a limpeza das tubulações, a fim de manter/restaurar o escoamento original do fluido no encanamento.

Existem formas que podem prevenir a incrustação, como o tratamento do fluido antes de ser encaminhado para o processo, o uso de inibidores de incrustação – que tem como função modificar a estrutura dos sais presentes fazendo com que eles percam seu poder de adesão -, e também o uso de catalizadores, que fazem com o que os sais se rearranjem e não se cristalizem de forma a se depositarem nas paredes da tubulação/equipamentos.

O antes e o depois do uso de um catalizador para a remoção/prevenção de incrustações.
Fonte: Solavite

As indústrias costumam realizar manutenções periódicas para a limpeza das tubulações com soluções químicas (geralmente de pH ácido), água, ou vapor, e o tempo de intervalo entre as manutenções é individual para cada necessidade do setor industrial.

Limpeza mecânica à vapor nos tubos de uma caldeira.

Um exemplo de um problema de incrustação em equipamentos é a incrustação nas caldeiras.

A deposição de sólidos na parede de aço da caldeira atua como um isolante térmico, não permitindo a troca correta de calor entre os gases de aquecimento e a água, sendo assim a caldeira opera com menor eficiência, gastando mais energia, e por fim ficando superaquecida. Além disso a incrustação pode acarretar na corrosão do aço, fazendo com o que a espessura da parede diminua. Esses dois casos podem levar a explosão da caldeira.

Demonstração da incrustação com efeito isolante térmico na caldeira.
Fonte: Incrustação em caldeiras.

REFERÊNCIAS

GASTMANS, D; STRADIOTO, M; PEDE, M; KIANG, C. Caracterização de incrustações em equipamentos de bombeamento e tubulações instalados em poços tubulares profundos – estudo de caso. XIII Congresso Brasileiro de Águas Subterrâneas

Incrustação em caldeiras