A FUNÇÃO E A UTILIZAÇÃO DOS ADITIVOS ALIMENTARES

Algumas substâncias são adicionadas na composição dos alimentos com a função de melhorar/intensificar as suas propriedades – como aparência, cheiro e gosto –, ou conservá-lo aumentando sua durabilidade. Estas substâncias são chamadas de aditivos alimentares, podendo ter origem natural ou sintética, e cada uma possui seu propósito tecnológico alimentar específico.

A utilização dos aditivos alimentares gira em torno de dois aspectos: a necessidade do emprego de tal tecnologia na composição do alimento e a comprovação da segurança à saúde no consumo.

Antes de ser autorizado o uso de aditivos nos alimentos e a sua colocação no mercado, os mesmos são submetidos a análises toxicológicas para detectar possíveis efeitos, acumulativos ou não, decorrentes de seu consumo. Mesmo após autorizado pode ser necessário uma reavaliação caso as condições de uso mudem ou novos conhecimentos tecnológicos surjam.

 Os aditivos não podem dar evidências de serem prejudiciais para o homem a partir de seu consumo, não podem diminuir o valor nutritivo do alimento, e devem ser utilizados apenas quando necessário, nos alimentos específicos em condições específicas, com a sua quantidade estando dentro dos valores de ingestão diária aceitável.  

Além disso, os aditivos que estiverem presentes na composição do alimento devem estar descritos no rótulo da embalagem juntamente com o seu INS (Sistema Internacional de Numeração, Codex Alimentarius FAO/OMS).

Os aditivos são classificados de acordo com a ação que exercem no alimento como:

  • Acidulantes: intensificam o sabor ácido nos alimentos. São usados em refrigerantes, sucos de frutas, geleias e doces tendo como ação reduzir o pH, minimizando o crescimento de microorganismos e melhorando o efeito dos conservantes;
  • Antioxidantes: tem a função de retardar a deterioração de componentes;
  • Edulcorantes: são substâncias de sabor doce de natureza não glicídica, sendo a maioria sintéticos, o principal é a sacarina. São empregados em alimentos destinados a consumidores com restrição calórica, como portadores de Diabetes;
  • Espessantes: são empregados para aumentar a viscosidade das soluções de emulsões em alimentos, melhorando a textura e consistência; 
  • Estabilizantes: substâncias que mantém as propriedades físicas das emulsões e suspensões evitando que as fases do alimento se separem ou se desestabilizem;

Outras classificações são: antiumectante, aromatizante, conservador, corante e umectante. Um aditivo pode participar de mais de uma classificação.

REFERÊNCIAS

Portal Anvisa – Aditivos Alimentares e Coadjuvantes