BetaEQ Talks – TRAINEE EM USINA SUCROALCOOLEIRA NA ZONA DA MATA DE MINAS GERAIS

Cleyton Amorim cursa o 8º período em Engenharia Química na Univiçosa, em Viçosa-MG. Atualmente atua como Trainee em uma Usina sucroalcooleira da Zona da Mata de Minas Gerais, tendo desempenhando outros cargos na mesma empresa anteriormente.

ENTREVISTA

1. Qual o papel do etanol na matriz energética do Brasil?
 R: O Brasil hoje possui uma das matrizes energética mais renováveis do mundo, um dos grandes responsáveis para este acontecimento são os derivados da cana de açúcar (bioeletricidade do bagaço e o etanol) representando aproximadamente 17% da matriz. Nos últimos anos o governo tem feito vários investimentos no setor e o etanol tem sido peça fundamental para comprimento de várias obrigações sustentáveis do Brasil, pois dês de 2003 quando foi inserido no país os carros flex dando mais estabilidade ao abastecimento e fornecendo um direito de escolha ao consumidor, vem aumentando a produção e o consumo do etanol combustível, e hoje no Brasil optar por gasolina também é optar por etanol, pois 27% da gasolina é composta por etanol anidro. Com a mudança do mix na safra de 2018/2019 a produção e consumo de álcool bateu recordes, a oferta do biocombustível foi de 33,10 bilhões de litros – 9,91 bilhões de litros de anidro e 23,18 bilhões de litros de hidratado – pouco mais de 10% a mais que o recorde anterior, de 30 bilhões de litros, da safra 2015/2016, e alta de 19% sobre os 27,8 bilhões de litros de 2017/2018 de acordo com a União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica). A participação do biocombustível na matriz de combustíveis leves (ciclo Otto) foi de 47,41%, o maior já observado desde a safra 2008/2009, de 46,13% de acordo com a Unica. 

2. Quais as estratégias implantadas pela Usina visando manter-se competitiva no mercado?

R: A Usina possui várias estratégias para se manter firme no mercado, mesmo em tempos de crises, umas delas é a padronização e qualidade do produto final. A Usina produz açúcar branco tipo 2 que possui faixa de cor icumsa de 100 a 200 de acordo com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA). Com isso a maioria no mercado trabalha com essa cor acima de 150, para ter um diferencial no mercado a Usina trabalha com parâmetros de 100 a 150 de cor, tendo assim um produto mais nobre que os concorrentes. 

3. Quais as disciplinas estudadas na Engenharia Química que você mais precisa para sua atuação na indústria?

R: Hoje no cargo que exerço de Trainee na Produção faço uso de vários conteúdos estudados ao longo da graduação, mas posso destacar as disciplinas de transferência de massa e de calor, mecânicas dos fluidos, termodinâmica, balanço de massa e todas as operações unitárias, principalmente a 2. A transferência de massa e energia, juntamente com a termodinâmica e as operações, fazem ter um melhor entendimento e ser mais assertivo na resolução de problemas em aquecedores, evaporadores e cristalizadores, a mecânica dos fluidos me ajuda a saber a bomba ideal para um transporte e ajudar na tomada de decisão refazendo cálculos pra identificar desconformidades no processo e o balanço de massa é essencial para verificar perdas em algum dos processos. 

 4. Qual a importância para você, como profissional, de trabalhar na Usina?

R: Tendo uma experiência profissional atrelada a acadêmica facilita na compreensão de algumas matérias, porém é um desafio muito grande, costumo dizer que trabalhar na Usina é como se estivesse fazendo outra graduação, pois a cada dia é uma grande carga de conhecimento para ser absorvida. Para minha carreira profissional é um salto para o meu sonho de ser especialista/gestor de operações um uma Usina de grande porte. 

5. Que dicas você daria para quem tem vontade de trabalhar lá um dia?

R: Uma dica para todos os engenheiros que desejam ingressar no mercado de trabalho, trabalhando lá ou em outra indústria, é ter a capacidade de gerir pessoas, pois considero eu que a grande maioria sai da universidade com conhecimento aplicado e isso também ajuda na atuação profissional, porém conhecimento sem uma boa relação interpessoal pode dificultar sua liderança, e todos os engenheiros formam com a intenção de assumir cargos de liderança e tem muitos profissionais que pecam em priorizar apenas o conhecimento aplicado e não investir em uma boa gestão de pessoal.  Essa é a minha dica, você pode não saber tudo fazer tudo na empresa, pois está iniciando sua carreira, mas a capacidade de gerir pessoas tem que ser dominada. 

6. O que é feito com os resíduos da matéria prima na produção?

R: A vinhaça é utilidade na fertirrigação e a torta resultante da prensagem do lodo do decantador é destinada a adubação. Todos os resíduos são aproveitados na área de plantio, seguindo todos os cronogramas e tomando todos os cuidados para não enriquecer em excesso o solo nem contaminar o lençol freático. 

7. Quais as atitudes tomadas pela Usina em relação ao meio ambiente?

R: A Usina toma todos os cuidados necessários para reduzir os impactos ambientais. Caldeiras equipadas com lavadores de gases instalados antes das chaminés para reduzir particulados para a atmosfera, tem toda uma política de sustentabilidade. Os maiores recursos investidos nos últimos anos tem sido em relação à água, adquirindo equipamentos que necessitam de menos consumo de água de refrigeração e todas as águas de refrigeração ocorrem em circuito fechado onde a mesma água é resfriada e volta ao equipamento para realizar troca térmica. Neste ano, a Usina investirá em um decantador de fuligem, onde toda a água utilizada na lavagem de grelhas da caldeira passa por um processo de decantação e volta para o processo, trabalhando também em circuito fechado, que tem uma redução significativa no consumo de água na planta. 

8. Quais os principais parâmetros que devem ser analisados no processo de produção?

R: Hoje atuando na produção de açúcar cristal branco tipo 2, os principais parâmetros estão relacionados ao processo de tratamento do caldo e ao processo de concentração e cristalização.  

Resumindo os parâmetros são: 

Caldo sulfitado 

pH= 3,8 a 4,2 

PPM = 400 a 600 

Caldo caleado 

pH = 7,2 a 7,4 

Temperatura do caldo após o aquecimento de 105 a 107 ºC  

Caldo clarificado= caldo que sai do decantador, deve possuir pH entre 6,6 a 6,9 

Xarope = caldo após ser concentrados nos evaporadores= 60º brix  

Massa A = 91 a 92% concentração, 0,35 de AM (abertura media) 

Massa B = 92 a 93% concentração, 0,38 de AM (abertura media) 

Massa C =94 a 95 % concentração, 0,8 de AM (abertura media)  

Açúcar cristal branco, cor icumsa de 100 a 150, menos de 20(nº 100 g -¹máx.) pontos pretos, partículas magnetizáveis menores que 13 (mg kg-¹máx.) granulometria 0,8 AM, variância dos cristais menor que 30 pontos.

Esses são alguns dos parâmetros utilizados.