RIOS VOADORES

No texto “Diatomáceas e o nosso oxigênio” , foi possível verificar a importância dos organismos vivos denominadas de diatomáceas, as quais são fundamentais na produção de oxigênio. Entretanto, também foi permitido verificar o motivo dos oceanos ser o pulmão do mundo e não a floresta amazônica. Mas, qual é relação entre a floresta amazônica e os rios voadores? Qual é o papel da floresta amazônica? Para entender conseguir entender e responder a essas perguntas, é preciso conhecer alguns conceitos antes.

Fonte: O que são os ‘rios voadores’ que distribuem a água da Amazônia https://www.bbc.com/portuguese/brasil-41118902

Rios voadores são os caminhos de água atmosféricos, invisíveis, formados por vapor de água, normalmente acompanhado pelas nuvens e “impulsionados” pelos ventos. Esse termo, no Brasil, passou a ser conhecido na década de 90, pelo pesquisador de clima da INPE, Instituto Nacional de Pesquisa Espaciais, José Marego. Ainda nesse mesmo país, esses ventos responsáveis por soprar tal volume de água são chamados de alíseos.

Perto da linha do Equador, são os ventos alíseos que sopram de leste para oeste e que trazem a umidade evaporada do Oceano Atlântico em direção ao continente sul-americano.

Os rios voadores carregam tanta água quanto os rios terrestres
Fonte: Os rios voadores, a e o clima brasileiro http://riosvoadores.com.br/wp-content/uploads/sites/5/2015/04/Caderno-Professor-Rios-Voadores-2015-INTERNETppp.pdf
 

Outra definição que tem ganhado cada vez mais atenção é o serviço ambiental ou ecossistêmico, isto é, um conjunto de bioma ou de organismos que trabalham em prol de um equilíbrio do meio ambiente, beneficiando a todos os seres humanos. Processos naturais, como o de purificação da água e a absorção de CO2 e liberação de oxigênio, realizada pela fotossíntese das plantas, são exemplos de serviços realizados de graça pela natureza.

Além do ar puro e da água limpa, a riqueza da biodiversidade é outra grande fonte de valores que um determinado bioma oferece, na forma de alimentos, fibras ou remédios naturais. A continuidade desses serviços depende, diretamente, da preservação e integridade do bioma, pois, se ele se modifica, seja por ação natural ou do homem, seu papel no sistema também pode ser alterado.

É dentro dessa definição que a floreta amazônica entra, onde desempenha grande e importante papel, pois suga para dentro do continente os ventos umedecidos pelo oceano, alimentando os rios voadores com umidade e distribuindo-a para o país. Ela não é considerada o pulmão do mundo pelo fato de que todo o oxigênio produzido lá, permanece lá, porque as vidas existentes e as árvores habitantes requerem essa quantidade, mas através da transpiração desses mesmos seres, em especial as árvores, cedem novamente para a atmosfera uma quantidade grande de umidade. Esse vapor é transportado para as regiões Centro-Oeste, Sudeste e Sul, se estendendo também para o Uruguai, Paraguai e norte da Argentina, irrigando as lavouras dessas áreas através de chuvas.

Além disso, a água evaporada que vem da Amazônia também será usada para o consumo urbano, já que parte dela infiltrará no solo, suprindo os mananciais e terminando nos lagos e rios que abastecem as grandes cidades da região mais populosa do Brasil. Até o funcionamento das principais usinas hidrelétricas depende, em grande medida, dos caudais de água trazida pelos rios voadores.

Mas, se a floresta amazônica é tão importante assim, como fica com relação ao desmatamento e a queima da mesma, como ocorreu no mês passado (agosto de 2019)?

Sem a floresta amazônica ou com a sua grande diminuição, a porcentagem de chuvas irá se alterar de forma drástica, sem contar na variação do clima do país. Um estudo realizado recentemente pela LBA (Programa de Grande Escala da Biosfera-Atmosfera na Amazônia), descobriu que a floresta amazônica faz chover, o pesquisador Antônio Nobre explica: “Gotas precisam de alguma coisa sólida para se formarem, e isso é fácil de perceber quando se tira uma garrafa de refrigerante da geladeira e formam-se gotinhas em volta. A floresta também emite vapores orgânicos para a atmosfera, e esses condensam no ar como poeira higroscópica que funciona como eficiente semente de nuvens.”

Em 2015, o Brasil foi classificado com o país que possui maior índice de ocorrências de chuva, como mostra o quadro abaixo. Esse índice é devido a maior floresta tropical estar localizada aqui que, ao propelir e suprir os rios voadores, fornece o vapor de água que chega em outras localidades. Ao encontrar uma frente fria, por exemplo, essas massas de ar úmido podem se transformar em chuva. Trazida para outras regiões, essa umidade reciclada ajuda a transformar o Centro-Oeste, Sudeste e Sul no celeiro agrícola do país. A chuva que cai alimenta rios importantes, como o Paraná e o Tietê, nos quais imensas hidrelétricas fornecem a energia da qual dependem as indústrias nacionais.

Fonte: Tyndall Centre for Climate Change Research

A floresta amazônica pode não ser considerada o pulmão do mundo, mas é a responsável por cuidar e controlar as ocorrências de chuva em nosso país e como consequência, o clima. Dessa forma, é essencial cuidar e proteger todos os ecossistemas e pensando nisso, a Expedição Rio Voadores elaborou um livro voltado para as crianças, contando, de forma bem ilustrativa a importância da nossa maior riqueza, a floresta amazônica.

Referências Bibliográficas

Fenômeno dos rios voadores 

Os rios voadores, a e o clima brasileiro

O que são rios voadores? 

O que são os ‘rios voadores’ que distribuem a água da Amazônia