EFLUENTES NA INDÚSTRIA DE EXPLOSIVOS

As indústrias, de maneira geral, geram algum tipo de efluente durante o seu processo de fabricação. Hoje, abordaremos quais são os tipos de efluentes gerados em uma indústria de explosivos. No texto, iremos focar nos efluentes provenientes da produção do trinitrotolueno (TNT), pois atualmente é o mais utilizado em aplicações militares e industriais, principalmente por ser bastante estável, minimizando os riscos durante o manuseio e armazenamento. Ele também não absorve ou se dissolve em água, podendo então ser utilizado em ambientes úmidos ou molhado.

Ele é utilizado como reforçador de granadas, minas, torpedos, bombas de aviação, cargas de arrebentamento e como componente de dinamites e explosivos plásticos.

            Quando o TNT sofre a detonação, inicia-se um processo com alta energia de ativação, liberando assim, grande quantidade de energia e de gases em um curto espaço de tempo devido a sua decomposição.

            A produção do TNT ocorre através da nitração sequencial do tolueno com uma mistura de ácido nítrico e ácido sulfúrico. Durante essa produção é gerada uma grande quantidade de águas residuais, as quais acabam tendo uma coloração característica, e devido as tonalidades, são classificadas como água amarela e água vermelha.

            A água amarela é gerada durante a primeira lavagem para a remoção de impurezas da produção no TNT, onde é utilizado água quente a 90°C, com o intuito de remover nitrofenóis, ácidos nitrobenzóico, tetranitrometano e TNT simétrico dissolvido. Posteriormente, essa água é resfriada até 30°C, podendo assim haver a precipitação do TNT dissolvido.

            A água amarela é constituída principalmente de sólidos totais, os mais significativos são os sais dissolvidos dos ácidos  utilizados, ou seja o SO4-2 e NO3,  também aparece o material sedimentável, que são cristais de TNT e o material orgânico nitrogenado, que pode ser o próprio TNT e seus possíveis isômeros. A cor amarelada do efluente é causada pela saturação da solução de TNT.

            Já a água vermelha é formada durante a segunda lavagem, que é realizada com uma solução de sulfito de sódio e tem como finalidade retirar diferentes formas assimétricas do TNT, promovendo uma purificação do mesmo e formando sulfatos solúveis em água. Ela também apresenta uma quantidade significativa de sólidos totais, os quais são ocasionados pelos sais dissolvidos no processo, mas, principalmente, pela adição do sulfito de sódio. Outro composto bastante presente são os fenóis. A coloração vermelha é originada através da presença de íons arenodiazônicos, que reagem com compostos aromáticos altamente reativos, como os fenóis presentes no efluente, gerando assim compostos do tipo azo. Outros compostos observados foram os de nitrogênio.

Esquema da produção do exposivo TNT e a geração de seus efluentes.
Fonte: Degradação do espécies notroaromáticas e remediação de resíduos da indústria de explosivos por porcessos aançados envolvendo ferro métálico.
https://acervodigital.ufpr.br/bitstream/handle/1884/18083/DISSERTACAO1.pdf?sequence=1&isAllowed=y

REFERÊNCIAS:

Caracterização química e físico-química de efluente na indústria de explosivos nitroaromáticos.

Caracterização física, química e ecotoxicológica de efluente da indústria de fabricação de explosivos.

Trinitrotoluneno, C7H5N3O6.

Degradação do espécies notroaromáticas e remediação de resíduos da indústria de explosivos por porcessos aançados envolvendo ferro métálico.

Explosivos para emprego militar.

Tratamento de efluente proceniente da fabricação de TNT de uma indústira de explosivos utlizando processo redutivos e oxidadtivos acançados.

Tratamento de efluentes da insústria de explosivos por processo avançados de oxidação.