DESERTO DE SAL

Como visto no texto Diatomáceas e o nosso oxigênio,  o oxigênio é originado de três fenômenos importantes: rios voadores, tempestades de areias e os flocos de neves; mas tudo começa a partir dos desertos de sal. Ao esgotar os nutrientes contidos em oceanos, as carapaças das diatomáceas se enfraquecem e a maioria acaba morrendo, lentamente irão cair até o fundo do oceano e no decorrer de anos o leito dos oceanos sobe, o nível dos mares descem e o fundo do mar se transforma em um deserto salgado. O deserto que voa até a Amazônia antes era o leito de um mar e a poeira que faz a floresta tropical crescer: carapaças de diatomáceas. Ou seja, todos esses fenômenos de transportes são fundamentais e estão extremamente interligados.

Todos os anos, cerca de 27 milhões de toneladas dessa poeira cai sobre a bacia do Amazonas, a qual é o fertilizante perfeito, pois enquanto as plantas e árvores crescem transformam o dióxido de carbono em oxigênio.

A poeira que faz a floresta tropical crescer.
Fonte: Netflix

O maior deserto de sal do mundo está localizado no sudoeste da Bolívia, com mais de 12000 km², o Salar de Uyuni, contém 64 milhões de toneladas de sal, sem contar nos minerais, como boro, potássio, magnésio e onde há a maior reserva de lítio do mundo. Tal deserto se formou com a evaporação de mares que banhavam o continente americano antigamente, ou seja, teve origem com o que sobrou do Minchin, um lago pré-histórico.

Salar de Uyuni
Fonte: G1

A poucos quilômetros do Salar, está localizado Colchani, um lugarejo dedicado à exploração de sal. O centro de extração e processamento de sal de Colchani tem capacidade de produção de quase 20 mil toneladas ao ano, das quais 90% estão destinadas ao consumo humano.

Depois de retirado, o mineral é disposto em montes enquanto aguarda o transporte até a comunidade de Colchani.
Fonte: Revista Galileu

Tudo aqui na Terra está interligado, pois para termos o oxigênio os rios voadores, as tempestades de areias, os flocos de neves e os desertos de sal trabalham em conjunto. O Salar de Uyuni recebe bastante visitantes, embora não haja a ocorrências de chuvas seguida, possui uma bela paisagem e, em períodos chuvosos também, pois o excesso de chuva no solo se assemelha a um espelho, refletindo o céu. Para a visitação nesse tipo de lugar, devido à forte radiação solar, é preciso ter em mãos óculos solares com proteção 100% UV e protetor solar de fator 50 no mínimo, sem falar nas roupas para o frio devido a variação climática brusca, podendo chegar a temperaturas negativas.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Rodeado de lagoas e flamingos, deserto de sal é atração na Bolívia 

Maior lago de sal do mundo é único ponto brilhante visto do espaço 

Estivemos no Salar de Uyuni, o maior deserto de sal do mundo