LOGÍSTICA REVERSA

A logística reversa trata-se de uma ação realizada por muitos empresas. Vamos entender melhor sobre o tema?

A logística reversa, também conhecida como logística inversa, é uma ação realizada pela logística, onde o foco está no retorno dos produtos depois de usados, visando o reaproveitamento ou descarte apropriado dos materiais, além de claro, a preservação ambiental.

Imagine o sistema de logística só que ao contrário, esta é a logística reversa, onde os produtos ao final de sua vida útil retornam a seus fabricantes, para serem descartados corretamente ou serem utilizados em outro processo.

Fonte: https://maplink.global/blog/tipos-logistica-reversa/

Este conceito começou a ser empregado há mais de 30 anos, onde em 1990 as empresas já começaram a preocupar-se com a utilização dos recursos naturais e com o retorno de produtos descartados pelos consumidores.

 No entanto, foi em 2010, a partir da publicação da Política Nacional de Resíduos Sólidos, através da Lei nº 12.305, que todos ficaram responsáveis pelo ciclo de vida do produto. Além disso, existem alguns produtos que são obrigados a retornarem, ou seja, a empresa precisa criar projetos e ações de logística reversa. Estes produtos são de maior risco para a saúde humana e meio ambiente. São elas:

– Agrotóxicos

 Como os agrotóxicos são produtos que agridem ao meio ambiente, toda a cadeia produtiva de agrotóxicos deve implementar uma política de logística reversa, dando uma solução para os resíduos e embalagens.

Fonte: https://www.servioeste.com.br/blog/uso-de-agrotoxicos-subiu-162-em-12-anos-diz-pesquisa#gt_191

– Pilhas e baterias

Sabemos que as pilhas e baterias liberam materiais tóxicos para o meio ambiente, quando são descartados no lixo. Por isso, deve ser aplicado a logística reversa a fim de que estes materiais, retornem para fabricantes ou empresas responsáveis pela correta destinação, evitando prejuízos ambientais.

Fonte: https://sites.unicentro.br/wp/educacaoambiental/2018/06/12/pilhas-e-baterias/

– Pneus

Você sabia que um pneu, quando descartado na natureza, demora 600 anos para se decompor? O pneu, por ser um termofixo, não pode mais ser reformado, ou transformado em outros objetos. Por isso, é obrigatório a logística reversa para este material.

Fonte: http://www.recicloteca.org.br/material-reciclavel/outros-pneu-e-entulho/

– Óleos lubrificantes, seus resíduos e embalagens

Assim como no caso dos agrotóxicos, todas as empresas da cadeia de produção e distribuição de óleos lubrificantes devem estabelecer uma política de logística reversa, tanto para o produto em si, como para o lixo gerado, como resíduos e embalagens.

Fonte: https://ecoinforme.com.br/embalagens-de-oleo-recicladas-sem-uso-de-agua/

– Lâmpadas fluorescentes, de vapor de sódio e mercúrio e de luz mista

Sabemos que as lâmpadas possuem substâncias tóxicas, prejudiciais para a saúde humana e para o meio ambiente. Deste modo, as empresas possuem a responsabilidade de promover pontos de coleta a fim de que seja realizado a logística reversa.

Fonte: https://www.sema.rs.gov.br/conselho-estadual-de-meio-ambiente-regulamenta-descarte-de-lampadas

– Produtos eletroeletrônicos e seus componentes

Assim como acontece com os produtos citados anteriormente, o lixo eletrônico pode causar danos à saúde do homem e ao meio ambiente, se descartado de forma incorreta, por isso, deve ser realizado um plano de logística reversa.

Fonte: http://residuoall.com.br/2017/05/30/residuos-eletronicos-e-sua-coleta/

Já na prática, a logística reversa é realizada através de sistemas que promovem a coleta, o reuso, a reciclagem, o tratamento e/ou disposição final dos resíduos que são gerados após o consumo do produto.

Provavelmente você já conheceu algum ponto de coleta de equipamentos eletrônicos, pilhas, entre outros. São estes pontos que fazem o produto voltar até as empresas e, assim, realizar efetivamente a logística reversa.

Como pode-se perceber, os benefícios da logística reversa são muitos, como a correta forma de descarte de resíduos perigosos, a redução de custos, o reuso dos produtos, a redução dos prejuízos à saúde do ser humano, entre outros.

Além disso, de acordo com a PNRS, a responsabilidade sobre o produto cabe a comerciantes, fabricantes, importadores, distribuidores, cidadãos e titulares de serviços de limpeza e manejo dos resíduos sólidos urbanos, ou seja, todos. Desta forma, engenheiros químicos podem contribuir com a logística reversa atrás de planejamentos e projetos de reuso dos materiais.

Sendo assim, a ideia de um produto retornar para a indústria como fonte de matéria-prima já é uma realidade em muitas empresas e esperamos que este índice cresça cada vez mais com o apoio de empresas e seus colaboradores.

REFERÊNCIAS

ÁVILA, Dione Ferreira de. Logística reversa: um diferencial competitivo para as organizações. 2012.

RODRIGUES, Déborah Francisco et al. Logística reversa–conceitos e componentes do sistema. Anais do XXII Encontro Nacional de Engenharia de Produção, p. 23-25, 2002.

SOARES, Tamara Amaral; RODRIGUES, Priscila Thais; GONÇALVES, GIG. A Importância da logística reversa no âmbito social, ambiental e econômico. Revista de Administração, Rio de Janeiro, v. 3, n. 2, p. 28-34, 2016.

Logística reversa: o que é, como funciona e como aplicar

O QUE É LOGÍSTICA REVERSA?

Logística Reversa